“Pois conheceis a graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que , sendo rico, se fez pobre por amor de vós, para que, pela sua pobreza, vos tornásseis ricos.”(2Co 8.9)

Confissão: Eu conheço a graça do Senhor Jesus. Ele tomou o meu lugar na cruz. Ele se fez pecado para que eu fosse feito justiça de Deus. Ele tomou a minha pobreza para que eu pudesse ter a sua riqueza. Eu rejeito toda pobreza. O Senhor me supre em todas as minhas necessidades. Pela graça, eu sou próspero. Eu nasci em Cristo para a justiça, santidade e abundância em todas as coisas.
09.05.17 [17º Dia Jejum O PÃO DOS FILHOS] – A PÁSCOA

 

A primeira Ceia de Cristo com os discípulos no cenáculo foi a última páscoa. Muitos não estão familiarizados com a Páscoa, mas ela é um tipo perfeito de Cristo.
Lançai fora o velho fermento, para que sejais nova massa, como sois, de fato, sem fermento. Pois também Cristo, nosso Cordeiro pascal, foi imolado. I Cor. 5:7
Cada pormenor do capítulo doze de Êxodo é um retrato da redenção de Deus em Cristo Jesus.Em nenhum outro lugar das escrituras encontramos uma descrição tão detalhada da redenção de Cristo.
No dia seguinte, viu João a Jesus, que vinha para ele, e disse: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo! Jo. 1:29
Sabendo que não foi mediante coisas corruptíveis, como prata ou ouro, que fostes resgatados do vosso fútil procedimento que vossos pais vos legaram, mas pelo precioso sangue, como de cordeiro sem defeito e sem mácula, o sangue de Cristo. I Pe. 1:18-19
Leia atentamente o capítulo 12 de Êxodo e vamos juntos visualizar o quadro maravilhoso da nossa redenção retratada pela páscoa.

1. O tempo da Páscoa – 13:4
Êxodo 13:4 registra: “Hoje, mês de Abibe, estais saindo”. A palavra “Abibe” significa desabrochante, florescente, tenro e verde. Desabrochar e florescer significam o início da vida. No dia em que cremos no Senhor e fomos salvos, a vida começou a desabrochar dentro de nós. De fato, esse mês era agora o primeiro mês, pois é o começo de nossa vida.

2. O Cordeiro Pascal
Sem defeito – 12:5
Êxodo 12:5 declara que o cordeiro deveria ser perfeito. Isso tipifica Cristo que é perfeito, sem falta (Jo 8:46).

Macho de um ano – 12:5
Êxodo 12:5 ainda menciona que o cordeiro deveria ser macho de um ano, podendo ser um cordeiro ou um cabrito.
Ser de um ano é ser novo e não ter sido utilizado para nenhum outro fim. Jesus veio exclusivamente para ser o cordeiro de Deus. Ele nasceu para ser o sacrifício pelos nossos pecados.
De acordo com Mateus 25, os cordeiros tipificam os bons e o cabrito, os maus. Cristo na cruz era bom ou mau? De fato, ele era ambos. À hora da crucificação, ele era tanto um cordeiro quanto um cabrito. Ele era o justo de Deus que se fez pecado por nós.
Aquele que não conhceu pecado, Deus o fez pecado por mim, para que nele eu fosse feito justiça de Deus. II Cor 5:21.

Examinado por quatro dias – 12:5-6
O cordeiro tinha de ser sem defeito, e, para isso, se deveria observá-lo durante quatro dias (12:5-6). Do mesmo modo, Jesus foi observado.
Após ser aprisionado, o Senhor Jesus foi submetido a seis exames:
Três nas mãos dos sacerdotes, que o examinaram de acordo com a lei de Deus (Mc 11:27; 12:37; 14:53-65; Jo 18:13, 19-24),
Três sob governantes romanos, que o testaram de acordo com a lei romana (Jo 18:28-19:6).
Pilatos repetiu três vezes que não achava nele falta alguma (Jo 18:38, 19:46).
Ele passou por todos os testes e foi achado sem culpa. Por isso, no dia exato da Páscoa, Ele foi conduzido à morte como cordeiro pascal. Assim, a morte de Jesus foi o exato cumprimento do tipo.

O cordeiro, depois de testado deveria ser morto
A morte do cordeiro era substitutiva, ou seja, o cordeiro tomava o lugar do homem. Jesus também tomou o nosso lugar na cruz.
O cordeiro deveria ser comido e do mesmo modo, hoje, nós nos alimentamos de Jesus. Em João 6, o Senhor diz que quem não come dele, não tem parte com ele, mas quem dele se alimenta, por ele viverá.

O sangue deveria ser aplicado – 12:7
Observe que o sangue que não fosse aplicado, não poderia livrar o israelita da condenação. O ato de aplicar nos fala de fé, quando eu creio no sangue, eu o estou aplicando, e o sangue assim aplicado tem poder para nos livrar da morte.
O sangue era aplicado na porta pelo lado de fora, nos mostrando que o sangue não é para nós, mas para Deus e o Diabo. Deus, quando vê o sangue, fica satisfeito na sua justiça, e Satanás deve se calar de toda acusação.
O fato de o sangue do cordeiro pascal ser posto na verga e nas ombreiras da porta implica que ele abre caminho para entrarmos em Cristo, que é tipificado pela casa. Os redimidos entram na casa, que é Cristo, pela porta borrifada com sangue.
O mesmo sangue que abriu as portas para que os redimidos entrassem em Cristo, ou seja, na casa, também fechou as portas ao destruidor, guardando-os assim do julgamento. Todo aquele que for redimido pelo cordeiro será preservado e guardado pela casa. Tudo o que Cristo redime é por Ele guardado.

O sangue era aplicado com o hissopo – 12:22
I Rs.4:33 afirma que Salomão discorreu sobre todas as plantas, desde o cedro que está no Líbano, até o hissopo que brota do muro. O hissopo era umas das menores plantas. De acordo com o Novo Testamento, o que há de menor em quantidade é a nossa fé (Mt.17:20). O hissopo, assim, tipifica a fé. Deus não exige que a nossa fé seja como o cedro do Líbano, Ele requer que tenhamos um pouquinho de fé. Se um pecador apenas disser de todo coração:”Senhor Jesus, obrigado por morreres por mim”,ele será salvo. Essa é a fé semelhante ao hissopo que brota do muro. É por meio dessa fé simples que o sangue é aplicado.
O nosso ingresso em Cristo se faz pela porta a que se aplicou o sangue. Quando utilizamos o hissopo para aplicar o sangue à porta, capacitamo-nos a entrar em Cristo. Após entrarmos nele, precisamos permanecer nele. Em João 15, o Senhor Jesus diz: “Permanecei em mim”. Permancecer nele é manter a nossa identificação e união com ele.

Sua carne deveria ser comida – 12:8-10
A carne do cordeiro pascal deveria ser comida para que servisse de suprimento, de força e de vida. O mesmo é verdade com relação ao Senhor Jesus. Em João 6, Jesus afirma que precisamos comer da sua carne e beber do seu sangue para viver a sua vida. A carne, aqui, significa a vida de Cristo. Não apenas somos salvos pelo cordeiro, mas vivemos cada dia por meio dele. “Quem de mim se alimenta, viverá por mim” (João 6:57). Com relação ao comer do cordeiro, temos de ressaltar a forma como ele deveria ser comido pelos filhos de Israel.

3. A forma como o Cordeiro era comido
Assado pelo fogo – 12:8
Em primeiro lugar, o cordeiro era comido assado no fogo. O fogo, aqui, aponta para a ira do julgamento de Deus sobre o pecado. Quando Cristo estava na cruz, ele suportou o fogo da ira de Deus.
“Meu coração fez-se como cera, derreteu-se dentro de mim. Secou-se o meu vigor, como um caco de barro, e a língua se me apega ao céu da boca” (Sl.22:14-15).
É por isso que Ele exclamou: “Tenho sede!” (Jo.19:28), porque estava sendo queimado pelo fogo do julgamento de Deus.

Não cru – 12:9
O cordeiro não podia ser comido cru. Hoje em dia, aqueles que não crêem na redenção de Cristo tentam comê-lo cru. Isso quer dizer que tais pessoas o consideram um bom exemplo de homem, mas não a redenção de Deus para nós. Isto é tentar comer o cordeiro cru.

Não cozido com água – 12:9
Além disso, o povo de Israel não poderia comer o cordeiro cozido em água. Comer Cristo assim é considerar a sua morte não como morte para redenção, mas como simples martírio pelas mãos dos homens. Muitos não crêem que Jesus morreu por nossos pecados, mas dizem apenas que Ele foi morto pelo sistema político da época. Tais pessoas também negam a sua divindade.

Com pães sem fermento – 12:8
Todo fermento deveria ser retirado. O fermento é sempre um tipo de pecado. O fermento dos fariseus (Mt.16:6). Lançai fora o velho fermento (I Cor.5:7).Se desejamos ter comunhão com Deus, devemos lançar fora todo fermento, ou seja, todo pecado conhecido e manifesto.

Com ervas amargas – 12:8
Ao mesmo tempo em que comemos o cordeiro com pão sem fermento, devemos comê-lo com ervas amargas. Isso simboliza que devemos arrepender-nos e experimentar o gosto amargo referente às coisas pecaminosas. Quando vamos ao Senhor como nossa Páscoa, não basta crer; é preciso também arrepender e abandonar o pecado. Isso nos fala de ervas amargas e fermento, respectivamente.

Seus ossos não eram quebrados – 12:46
Quando Cristo foi crucificado como nosso cordeiro pascal, suas pernas não foram quebradas (Jo.19:33,36). O fato de suas pernas não terem sido quebradas significa que no cordeiro existe algo indestrutível. Esse elemento indestrutível é a sua vida eterna.
Podemos provar que os ossos de Cristo apontam para a sua vida. Segundo Gênesis 2:21, o Senhor tomou um osso, uma costela de Adão e o transformou em Eva. O elemento do qual Eva foi feita era osso, ou seja vida. A Igreja, a Eva verdadeira, também foi feita dos ossos de Jesus, ou seja, de sua vida. Essa vida que está no cordeiro foi transmitida para dentro de nós, quando nós comemos dele.

4. Comer com lombos cingidos, com sandálias nos pés, com cajado na mão e às pressas – 12:11
Esta era a maneira como o povo de Israel deveria comer o cordeiro. Enquanto comiam, eles estavam se constituindo em um exército. Poucos percebem logo ao se converterem, que entraram em uma guerra.
Segundo Êx.12:1, eles comiam com os lombos cingidos. Antes éramos frouxos, mas ao nos convertermos, nos tornamos firmes e equipados, isto porque o soldado deve sempre estar pronto para o combate.
Também foi dito ao povo que tivesse sandálias nos pés. Isto mostra que deviam estar prontos para uma jornada. Estar cingidos nos lombos é estar revestido da verdade e da justiça, segundo Efésios 6:14. Estar calçado é estar preparado com o Evangelho da paz.
O povo também deveria estar com o cajado à mão. Esse cajado, como já dissemos, está estreitamente ligado com o Diabo; é para a guerra. Efésios 6:16 diz que devemos ter na mão o escudo da fé, para poder apagar os dardos inflamados do Diabo, e a espada do Espírito, para poder atacar e desfazer as obras malignas. O cajado aponta, então, para o ataque e a defesa espiritual: pelo escudo e pela espada (Ef.6:17). Nunca podemos nos esquecer que somos um exército.
E, por fim, deveria comer às pressas. Isto nos fala que não devemos ser ligados ao mundo, mas estarmos sempre preparados para partir daqui. Estamos aqui de passagem.

5. Os filhos de Israel deveriam estar dentro das casas – 12:22
A casa é um tipo de Cristo, assim como o cordeiro o é. Tanto a casa como o cordeiro apontam para Cristo, mas em aspectos diferentes. O sangue do cordeiro nos fala da substituição, enquanto a casa nos fala da identificação. A redenção é consumada pela substituição e pela identificação. É por isso que podemos dizer hoje que estamos nele, dentro dele. É por estarmos nele, que o Senhor vê o sangue.
A arca construída por Noé também ilustra a identificação ou união. Noé e sua família entraram na arca, identificados com ela. Através desse entrar, eles foram salvos. No mesmo princípio, o ser redimido implica em estar na casa. Quando Cristo morreu, eu morri com ele, quando ele ressuscitou, eu ressuscitei com ele, e quando ele se assentou nos lugares celestiais, eu me assentei com ele. Eu estou nele e ele está em mim. Eu fui identificado com Cristo de modo que a sua morte foi também minha morte. Tudo o que é verdadeiro a respeito dele também o é a respeito de mim.
E o que os filhos de Israel faziam dentro da casa? Comiam a carne do cordeiro pascal. Esse comer, entretanto, é chamado de festejar em 12:14. O que significa celebrar ao Senhor? Significa permanecer na casa e desfrutar de uma participação completa do Cordeiro. A alegria do Senhor é ver seu povo festejando e celebrando numa alegria completa.

6. Os servos comprados e circuncidados podiam comê-la – 12:43 e 45
Êxodo 12:43 e 45 dizem que o estrangeiro e o assalariado não podiam participar da Páscoa. Entretanto, os servos comprados e circuncidados estavam qualificados para comê-la (12:44,48). Ser comprado é ser redimido. Não somos servos contratados, mas fomos comprados pelo Senhor. Isso quer dizer que fomos comprados e recuperados pelo Senhor (I Cor 6:20). Assim, já não somos mais estrangeiros, mas redimidos.
É fácil dizer, de maneira doutrinária, que fomos comprados. Mas, em nossa prática diária, podemos viver como se fôssemos contratados. O apóstolo Paulo sabia ser um escravo de Cristo Jesus (Rm 1:1). Ele não se considerava alguém contratado, a fim de trabalhar para o Senhor. Contrastando com muitos pastores e ministros, ele sabia não ter direito de demitir-se do serviço do Senhor.
Em Êxodo 12:44, lemos: “Todo escravo comprado por dinheiro, depois de o teres circuncidado, comerá dela”.
Todos os redimidos, comprados, devem ser circuncidados. Os circuncidados são os que crucificaram a carne com suas paixões e desejos. Os circuncidados não exercitam a força natural, a fim de trabalhar por Deus. Somos escravos comprados e circuncidados.

7. A Páscoa era seguida pela festa dos pães asmos – 12:15-20
Os filhos de Israel deveriam observar a festa dos pães asmos como continuação da festa da Páscoa (12:15-20; 13:6-7). A festa da Páscoa durava apenas um dia, enquanto a festa dos pães asmos durava por sete dias.
Durante esse período, nenhum fermento poderia ser achado entre os filhos de Israel. A festa dos pães asmos aponta para a nossa vida cristã depois de passarmos pela Páscoa. Em nossa vida cristã, nenhum fermento deve ser visto. Isto significa que temos a responsabilidade de tratar com os pecados dos quais temos consciência. Sempre que descobrimos algo pecaminoso em nossas vidas, precisamos eliminá-lo. Isto não significa que não temos pecado. Certamente, em todos nós, há certos pecados dos quais não temos consciência. Tão logo, entretanto, nos conscientizamos dele, precisamos eliminá-lo. Devemos renunciar a todo pecado conhecido.
Em 12:19, foi dada uma palavra forte aos filhos de Israel:
“Por sete dias, não se ache nenhum fermento nas vossas casas, porque qualquer que comer pão levedado será eliminado da congregação de Israel…”
Ser eliminado é ser cortado da comunhão. Essa palavra séria corresponde à palavra de Paulo em I Coríntios 5:13: “Expulsai pois, de entre vós o malfeitor”. Expulsar é cortar da comunhão da Igreja.
Vemos, portanto, através desses seis pontos, um quadro completo da Páscoa segundo nos é apresentada em Êxodo, capítulo 12. Que o Senhor nos dê espírito de revelação, para termos pleno entendimento da nossa redenção em Cristo Jesus.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2015 Igreja Videira em Fortaleza/CE | Vivemos com amor.
Topo
Desenvolvido por AlissonDesign