O Plano de Deus para a Salvação do Homem

O chamamento

A nossa salvação não foi um evento que aconteceu às pressas, muito pelo contrário. Deus planejou a nossa salvação antes da fundação do mundo. Rm 8:29-30
Em nossa experiência nós fomos salvos no dia em que cremos em Jesus e o confessamos como Senhor, mas do ponto de vista de Deus ele nos conheceu há muito tempo. Tudo aconteceu conforme o plano e o propósito de Deus.
O texto de Romanos nos mostra o plano de Deus como uma corrente. Nessa corrente o primeiro elo é o conhecimento prévio de Deus. O segundo é a nossa predestinação. O terceiro elo é o chamamento. A justificação é o quarto elo. O quinto elo é a glorificação.
Muito antes de você existir, muito antes de você pensar em Deus ele já pensava em você. Muito antes de conhecermos a Deus ele já nos conhecia. E aqueles que Deus conheceu ele marcou. Ele nos marcou para sermos idênticos a Jesus. Ele não quer ter um único filho, mas deseja que sejamos filhos assim como Jesus é.
A sua história com Deus não começa no dia da conversão, mas começa na presciência de Deus. Presciência é ver antes. Se perdêssemos a nossa salvação seria o caso de questionar a onisciência de Deus. Se ele sabia que eu seria salvo, como posso não ser agora?
Deus não pode mudar a nossa justificação sem afetar a sua presciência, predestinação e chamamento.
Deus é o princípio e o fim, o alfa e ômega (Ap. 22:13). Nós começamos e não terminamos, mas Deus, nunca. A obra que Deus começou não pode parar na metade do caminho. A salvação é obra de Deus, não é obra nossa. Foi Deus quem nos salvou.
Estou plenamente certo de que aquele que começou boa obra em vós há de completá-la até ao Dia de Cristo Jesus. Fp. 1:6
Se a salvação pudesse parar no meio do caminho isso significaria que Deus não terminou o que começou. Mas isso é impossível. Ele começou na presciência e nos levará até a glorificação.
A nossa salvação está eternamente segura. Se depender de nós iremos falhar, mas a obra de começar é feita por ele e também a obra de preservar até o fim.
“O chamamento”
Há uma maneira definida do Senhor Jesus lidar com os descrentes para os salvar, para os equipar para serviço, para os preparar para reinar com Ele no Milênio e para viver com Ele na eternidade. De acôrdo com as normas fixas da Bíblia, a boa vontade e a total cooperação de cada um de nós são necessárias, se quizermos evitar a tragédia de um falso arrependimento. Todos nós podemos partilhar da maravilhosa experiência de sermos chamados pelo Senhor, da escuridão do pecado para a Sua maravilhosa luz. Vamos explorar nessa ministração a imperscrutável riqueza do amor e graça salvadora de Deus, e a aceitá-las pela fé.
O chamamento
A humanidade tem o problema comum de ser pecadora e de ter de enfrentar as consequências da separação de Deus e do castigo eterno no inferno, se não se arrepender e não aceitar Cristo como seu Salvador. A Bíblia diz: “O pecado entrou no mundo através de um homem, e a morte através do pecado, e assim a morte tornou-se o destino de todos os homens, porque todos pecaram” (Rom.5:12; Rom. 3:9-12).
O pecado entrou no mundo através do pecado de Adão, e subsequentemente espalhou-se a toda a humanidade, penetrando toda a raça humana. A razão porque a morte se espalhou porque herdamos de Adão não apenas a vida humana, mas junto com ela a natureza de pecado, logo se Adão pecou logo nós pecamos. E o castigo para o pecado é a morte “O salário do pecado é a morte” (Rom. 6:23; veja também 7:13).
Todos os seres humanos herdaram a natureza pecadora de Adão depois da Queda, vindo ao mundo como pecadores “ Eu nasci na iniqüidade, e em pecado me concebeu minha mãe. (Salmo 51:5). O apóstolo Paulo afirma que nós estamos “mortos em delitos e pecados” e necessitamos de ser espiritualmente restaurados e avivados por Deus (Efésios 2:1).
O próprio Deus mostra-nos o primeiro passo a dar para a conversão de pecadores. Êle chama-nos ao arrependimento e providencia o caminho para a nossa salvação: “Deus demonstrou o Seu próprio amor para connosco com a morte de Cristo por nós enquanto éramos aínda pecadores”(Rom.5:8).
Uma vez que o preço de todas as nossas transgressões foi pago, toda a gente em toda a parte é convidada a vir ao Senhor Jesus, para receber d’Êle o perdão dos seus pecados:
“Vinde a Mim todos vós que estais sobrecarregados, e Eu vos darei descanço” (Mat. 11:28).
“Vinde agora, e conversemos juntos, diz o Senhor:-Embora os vossos pecados sejam como o escarlate, êles serão brancos como a neve; embora êles sejam como o carmezim, êles serão como a lã” (Isaías 1:18).
Deus chama-nos e mesmo “comanda-nos” (instrui-nos ou instiga-nos) em toda a parte, a que nos arrependamos
Atos 17:30-31 “Ora, não levou Deus em conta os tempos da ignorância; agora, porém, notifica aos homens que todos, em toda parte, se arrependam; 31 porquanto estabeleceu um dia em que há de julgar o mundo com justiça, por meio de um varão que destinou e acreditou diante de todos, ressuscitando-o dentre os mortos.
2 Pedro 3:9 – ‘‘Não retarda o Senhor a sua promessa, como alguns a julgam demorada; pelo contrário, ele é longânimo para convosco, não querendo que nenhum pereça, senão que todos cheguem ao arrependimento.’’
A razão porque Jesus Cristo veio ao mundo foi para oferecer a remissão de pecados à humanidade perdida
Lucas 24:46-47 “e lhes disse: Assim está escrito que o Cristo havia de padecer e ressuscitar dentre os mortos no terceiro dia 47 e que em seu nome se pregasse arrependimento para remissão de pecados a todas as nações, começando de Jerusalém.
Portanto, a Sua missão principal foi chamar os pecadores ao arrependimento. Diz Êle: “Eu não vim chamar os justos ao arrependimento, mas sim os pecadores” (Mat. 9:13). hoje eu tive revelação desse versiculo – Quem se acha justo não aceitará o chamado, ele acha que não precisa de Cristo.
Agora tem muitos que não sabem que são pecadores, não tem entendimento, a esses nós precisamos de lhes mostrar a lei, antes da graça a lei.
“Porque o Filho do Homem veio para procurar e salvar o que estava perdido” (Lucas 19:10).
É importante reconheceres pessoalmente o chamamento específico do Senhor Jesus, reconhecer que é percador, que está perdido, pois isso determinará a maneira como vais responder à Sua chamada. É essencial que uma pessoa compreenda a extensão total do seu problema, isto é, que a pessoa, sem o Senhor Jesus, está a caminho do desastre. Não há lugar para complacência ou auto-justificação, no estado de escuridão espiritual em que uma pessoa se encontre,
Paulo reafirma o que o salmista afirmou porque no Salmo 53:2-3 “ Do céu, olha Deus para os filhos dos homens, para ver se há quem entenda, se há quem busque a Deus.3 Todos se extraviaram e juntamente se corromperam; não há quem faça o bem, não há nem sequer um”. Rm 3:10 como está escrito: Não há justo, nem um sequer,
Uma pessoa deve compreender a totalidade da natureza do pecado e da sua gravidade aos olhos de Deus – o pecado que habita cada um de nós que nos separam d’Êle (Isaías 59:2). Não deve haver a mínima dúvida na nossa mente que Deus impôs a pena de morte para o pecado
Ez 18:4, “Eis que todas as almas são minhas; como a alma do pai, também a alma do filho é minha; a alma que pecar, essa morrerá.
Ez 18:31-32 “Lançai de vós todas as vossas transgressões com que transgredistes e criai em vós coração novo e espírito novo; pois, por que morreríeis, ó casa de Israel?32 Porque não tenho prazer na morte de ninguém, diz o SENHOR Deus. Portanto, convertei-vos e vivei.
Rom. 6:23 “ porque o salário do pecado é a morte, mas o dom gratuito de Deus é a vida eterna em Cristo Jesus, nosso Senhor.
Consequentemente, todas as pessoas não-salvas estão a caminho da condenação eterna pelo Juiz justo. Se não estão salvas, a seguinte sentença cairá sôbre as suas cabeças a quando do julgamento do trono branco:
Mt 25:41 “ Então, o Rei dirá também aos que estiverem à sua esquerda: Apartai-vos de mim, malditos, para o fogo eterno, preparado para o diabo e seus anjos..
Quando Deus Pai nos chama através do Seu Filho Jesus Cristo, Êle não só identifica o nosso problema do pecado e condenação, mas também nos oferece a solução para o problema. A Boa Nova é que Deus nos ama e providenciou para o nosso perdão por meio da morte reconciliadora de Jesus na cruz.
“Nisto há amor, não que nós tenhamos amado Deus, mas que Êle nos amou, e nos enviou o Seu Filho para ser propiciação pelos nossos pecados” (1 João 4:10).
“Porque Deus amou o mundo de tal maneira, que deu o seu Filho unigénito para que todo aquele que n’Êle creia não pereça mas tenha a vida eterna” (João 3:16).
“Porque Cristo também sofreu uma vez pelos nossos pecados, o justo pelos injustos, para nos levar a Deus, mortificado na carne, mas vivificado pelo Espírito” (1 Pedro 3:18).
“Imploramo-vos por Cristo, que vos reconcilieis com Deus. Pois Àquele que não conhecia o pecado Êle O fez pecado por nós, para que n’Êle fôssemos feitos justiça de Deus” (2 Cor. 5:20-21; Rom. 8:3; Gal. 3:13).
A força do chamado
Precisamos orar pelos não salvos para que esse chamamento de Deus deve ser ouvido por êles com tanta clareza, que compreendam inteiramente as suas implicações e o preço de se tornarem cristãos. Deixar a cerveja, os amigos, a familia, a religião e o pecado propriamente dito ou seja que eles mesmo julga ser pecado (adulterio, roubo, mentira grande, assassinato).
Jesus fez compreender a Nicodemo que os conhecimentos teológicos e uma vida bôa não são o suficiente para herdar o reino de Deus: Êle tinha de nascer de novo. A condição para receber perdão e a vida eterna é a confissão e o novo nascimento que vem pelo arrependimento qué a disposição de abandonar todos os pecados conhecidos e crer na obra da salvação, na obra redentora da cruz do Senhor Jesus e tê-lo como Senhor e Salvador.
Em Lc 18:22 “Ouvindo-o Jesus, disse-lhe: Uma coisa ainda te falta: vende tudo o que tens, dá-o aos pobres e terás um tesouro nos céus; depois, vem e segue-me.
Qual era o pacado desse jovem? Amor as riquezas, você pode pensar que cara banal! Eute pergunto você é rico?
Para muitos é muito facil vender tudo e dar aos pobres, porque ele é pobre. Mas com certeza cada um teve um pecado que teve que deixar ou que ainda não abandonou.
Muitas pessoas acham difícil arrependerem-se, porque na realidade não desejam abandonar os seus pecados.
Ef 4:22 “no sentido de que, quanto ao trato passado, vos despojeis do velho homem, que se corrompe segundo as concupiscências do engano, 23 e vos renoveis no espírito do vosso entendimento,”
Os pecadores que recebem o chamamento de Deus ao arrependimento, são acordados para compreenderem a sua qualidade de perdidos – isto é, que não têm esperança alguma ou futuro sem Deus. A sua consciência é avivada, porque estava morta, para reconhecerem a sua qualidade de pecadores e a solução que Deus lhes oferece para o seu problema. Os pecadores acordados aínda não estão salvos, mas ouviram o bater à porta dos seus corações com a mensagem: “Acordai vós que dormis, levantai-vos dos mortos e Cristo vos dará luz” outra versão: Pelo que diz: Desperta, ó tu que dormes, levanta-te de entre os mortos, e Cristo te iluminará. (Efésios 5:14).
Aqueles cujas consciências foram avivadas, podem reagir de duas maneiras à sua convicção de pecadores:
Podem obedecer ao convite do Espírito Santo que os convence do pecado, da justiça e do juízo (João 16:8), confessar os seus pecados e aceitar o sacrifício de Cristo por si na cruz, sendo então perdoados e escapando assim aos julgamentos de Deus.
Para sua eterna ruina, podem por outro lado resistir ao chamamento de Deus para a sua salvação: “Hoje, se ouvirdes a Sua voz, não endureçais os vossos corações” (Hebr. 3:7-8). Se continuarmos a endurecer os nossos corações, a voz do Espírito Santo será gradualmente silenciada, tornando-se mais difícil responder-Lhe. Não permitamos que os nossos corações se endureçam a tal ponto, que voltemos as costas a Deus, excluindo-O da nossa vida juntamente com a Sua Palavra, a Bíblia.

Write a comment:

*

Your email address will not be published.

© 2015 Igreja Videira em Fortaleza/CE | Vivemos com amor.
Topo
Desenvolvido por AlissonDesign